Títulos

Uma história de sucesso e triunfo!

O Goiás Esporte Clube nasceu de um sonho, que teve os primeiros passos rumo à realidade na noite de 6 de abril de 1943, na calçada da rua 23, Centro de Goiânia, sob um poste de iluminação pública. Foi neste local que um grupo de amigos, que tiveram o sonho em comum, começou a organizar o clube que hoje, passados 71 anos, se transformou num dos principais do País e indiscutivelmente o maior do Centro-Oeste. Ali, naquela calçada, sob aquela luminária, nasceu um campeão.

Na verdade, o inusitado local de fundação do Goiás tem um motivo até certo ponto simplório. O que aconteceu foi que os criadores do clube se reuniram na casa dos irmãos Lino e Carlos Barsi para discutir o projeto. Como se tratava de um grupo de entusiastas, é fácil imaginar o volume elevado das vozes durante o debate. E foi exatamente o barulho da conversa que fez com que a matriarca da família Barsi determinasse que a reunião prosseguisse do lado de fora da casa. Por isso, o Goiás nasceu sob a luz de um poste de rua. Provavelmente, por isso também, que ele seja um clube absolutamente “iluminado”.

Os primeiros anos foram difíceis, embora alguns detalhes já deixassem antever o futuro vitorioso. Acontecimentos como, por exemplo, o 3º lugar no Campeonato Goiano de 1944, o primeiro da história, logo atrás do Atlético e Goiânia, as duas forças da época. Ou a conquista, em campo, do titulo de 1951, perdido posteriormente na Justiça para o Goiânia. De qualquer maneira, se o futuro seria brilhante, as duas primeiras décadas exigiram dedicação, perseverança e determinação dos fundadores.

A primeira partida da história do Goiás foi contra o Atlético Goianiense e, ainda sem recursos financeiros, o novo clube utilizou no confronto camisas com listras horizontais em verde e branco, doadas pelo América Mineiro. Mas como os mineiros só puderam dar nove camisas, o uniforme do time teve que ser completado com camisas na cor branca. O jogo ocorreu no Estádio Olímpico, na Avenida Paranaíba.

Naquela época, o time realizava seus treinos em um campo de terra anexo ao estádio da Avenida Paranaíba, e mandava seus jogos no campo de grama do antigo Olímpico. Em 1960, porém, a diretoria negociou a compra de uma área numa região da cidade então conhecida como Fazenda Macambira. Essa área é hoje a sede da Serrinha, onde está erguido o Estádio Hailé Pinheiro, entre outras benfeitorias. A região é na atualidade um dos pontos mais nobres e valorizados de Goiânia. E a década de 1960, que começou promissora, seria, de fato, o inicio da mudança no status do clube.

O ponto alto daqueles anos foi a conquista do primeiro titulo de campeão goiano. Aconteceu em 1966 e o Goiás fez uma campanha memorável, em que perdeu apenas um jogo, erguendo a taça pela primeira vez, um gesto que se repetiria 23 vezes nas décadas seguintes, transformando o clube no maior vencedor de Goiás e da região Centro-Oeste. Mas foi na década seguinte que o clube começou a dominar os certames estaduais e a ganhar certo destaque em competições nacionais.

Logo no inicio dos anos de 1970, o Goiás conquistou seu primeiro bicampeonato estadual, em 1971 e 1972. Em 1973, o clube se tornou o primeiro do Estado a disputar o Campeonato Brasileiro, criado dois anos antes. A estreia foi contra o Olaria, do Rio de Janeiro, dia 26 de agosto, um domingo, no Estádio Olímpico Pedro Ludovico. O resultado foi um empate por 0 a 0. Três dias depois, dia 29, quarta-feira, o Goiás voltou a campo no mesmo estádio para enfrentar outro carioca, bem mais poderoso, e chegou à sua primeira vitória em campeonatos brasileiros. Foi contra o Flamengo, e o resultado foi 1 a 0, gol do atacante Lincoln.

A década terminou, em termos de títulos, com a conquista de mais um bicampeonato estadual, em 1975 e 1976. Nos anos de 1980 o Goiás ganhou mais cinco títulos estaduais, inclusive o terceiro bicampeonato, 1986 e 1987. Essa também foi a década em que o clube adquiriu o terreno onde fica o Centro de Treinamentos entre o Parque Anhanguera e o Jardim Atlântico, em Goiânia, propiciando ao Goiás a edificação de uma das melhores infraestruturas do futebol nacional. Exatamente a organização que permitiu ao time esmeraldino continuar crescendo e viver na década seguinte a mais vitoriosa de sua história até aqui.

Os anos 1990 começaram com um titulo estadual e o vice-campeonato da Copa do Brasil, ambos em 1990. Muito mais estaria por vir, no ano seguinte, 1991, o Goiás conquistou o, então, inédito tricampeonato goiano. E outros cinco títulos estaduais ainda foram levantados naquela década, incluindo um pentacampeonato estadual, obtido com as conquistas entre 1996 e 2000. A galeria de títulos dos anos 1990 foi enriquecida ainda com a taça de campeão Brasileiro de série B, o primeiro título nacional da historia do clube, em 1999, que foi precedido pelo vice-campeonato na mesma série, em 1994.

No âmbito administrativo, dois grandes destaques marcaram a década de 90. Um deles foi a inauguração do Estádio Hailé Pinheiro, localizado na sede da Serrinha. A abertura do local aconteceu no dia 8 de fevereiro de 1995, com o Goiás recebendo o Kashima Antlers, do Japão, para uma partida amistosa. Dois anos depois, em 1997, o clube foi oficialmente incluído no chamado Clube dos 13, a associação das maiores agremiações de futebol do País.

Em 2000, o clube fechou a campanha do pentacampeonato estadual e iniciou a caminhada para a conquista do tricampeonato na Copa Centro-Oeste, ganhando a competição em 2000, 2001 e 2002. A primeira década do Século 21 viu ainda a vitória esmeraldina em outros quatro títulos goianos, incluindo o bicampeonato, em 2002 e 2003.

Em 2005, nova barreira foi superada, quando o time realizou ótima campanha no Brasileiro, terminou na 3ª colocação e obteve uma inédita vaga para disputar a Taça Libertadores da América, a principal competição do continente, na temporada seguinte, 2006. O Goiás voltou a ter destaque internacional quatro anos depois, em 2010, quando chegou a à final da Copa Sul-Americana, ficando com o vice-campeonato, após perder a disputa final nos pênaltis para o Independiente, da Argentina. A década atual já presenciou um bicampeonato estadual, 2012 e 2013, além do bicampeonato no Brasileiro da série B, conquistado em 2012, o segundo titulo nacional do clube.