• Rinaldo

    RINALDO - Pulmão de Aço

    O tocantinense Rinaldo Irineu Silva ganhou destaque na história do Goiás E.C.

    Marcou 75 gols e conquistou três títulos estaduais com o manto esmeraldino na década de 70.

  • Triel

    O ex-lateral direito Triel jogou no Verdão na década de 70, e marcou 18 gols com a camisa do Goiás.

  • Vagão

    Wagna Antônio Corabo, o Vagão. O jogador defendeu o Verdão entre os anos de 1969 e 1974, marcou oito gols, e foi campeão goiano em duas oportunidades, 71 e 72.

  • Cacau

    Revelado pelo Goiás, o atacante surgiu ainda na época em que o camisa 7 era o ponta direita. Ele disputou sete edições do Campeonato Brasileiro: 83-85 e 90-93. Foram 105 jogos, 18 gols, 29 vitórias, 35 empates e 42 derrotas.

  • Uidemar

    Volante muito habilidoso, Uidemar disputou quatro edições do Brasileiro pelo Goiás: 86, 87, 88 e 89. Os números dele são: 71 jogos, 19 vitórias, 26 empates, 26 derrotas e 2 gols marcados. Era exímio cobrador de pênaltis.

  • Baltazar

    O Artilheiro de Deus também se destacou no Goiás. Chegou ao clube em 1993 para ser o principal jogador na série B do Brasileiro de 94, na qual o time foi vice-campeão e garantiu retorno a Série A. Baltazar foi também artilheiro do Goianão de 1994 com 25 gols. É um dos jogadores que mais gols fez num só jogo no Estado – 6 nos 7 a 0 do Goiás sobre o Ceres, em 1993.

  • Fernandão

    O atacante começou na escolinha de futebol do Goiás e foi pentacampeão goiano: 1996 a 2000. Na Série B do Brasileiro de 99, foi fundamental. Naquela conquista, ele fez um belo trio de ataque ao lado de Dill e Araújo. Na Série A, o atacante jogou em 97, 98 e 2000. Em 2009, o jogador voltou ao clube, aos 31 anos, disputou 14 partidas no Brasileirão daquele ano e marcou 3 gols.

  • Alex

    Chegou ao Goiás em 95 e foi tetracampeão goiano (96-99). Foi destaque na campanha do Brasileiro de 96, uma das melhores da história do Goiás (4º lugar) e ainda participou da boa campanha na Copa do Brasil de 99.

  • Dill

    Revelado nas categorias de base, o atacante jogou no Goiás de 95 a 2000. Em 2000, Dill foi vice-artilheiro do Brasileirão, com 20 gols, dois a menos que Adhemar, do São Caetano. Na 1ª divisão, o atacante jogou 69 partidas pelo Goiás, marcou 29 vezes, teve 28 vitórias, 17 empates e perdeu 24. No Campeonato Goiano, também entrou para a história marcando 29 gols, em 2000, se tornando o maior goleador do clube na competição.

  • Aloísio

    Chegou para o Goiás em janeiro de 97, envolvido na venda do meia Lúcio para o Flamengo. De cara, Aloísio foi o artilheiro do Campeonato Goiano daquele ano, com 27 gols marcados. Foi tricampeão goiano (97 a 99) e no Brasileirão foram só duas temporadas: 97 e 98, nas quais fez 6 gols em 35 jogos, venceu 7 partidas, empatou 5 e perdeu 23.

  • Tão Segurado

    Da época em que o Goiás não colecionava títulos, Tão Segurado é lembrado como o grande jogador do time nas décadas de 50 e 60, quando também atuou na seleção goiana. Ele foi artilheiro do Campeonato Goiano de 56, com 22 gols. Tão Segurado morreu em 1997.

  • Lincoln

    Os feitos do Leão da Serra começaram em 1973, quando foi artilheiro do Campeonato Goiano, com 18 gols. Ainda em 73, fez o primeiro gol do Goiás na história do Brasileiro (Goiás 1 a 0 Flamengo). Participou de cinco edições do Nacional, disputou 96 jogos e marcou 39 gols. Foi o primeiro jogador de futebol goiano e brasileiro a fazer gol no Serra Dourada. Foi ainda o principal goleador do Goianão mais 2 vezes (1974 e 76), com 18 gols.

  • Macalé

    É o zagueiro mais admirado na história do Goiás. Só no Campeonato Brasileiro foram 118 jogos, 41 vitórias, 44 empates e 33 derrotas. Ele disputou sete edições da competição. Fez parte do time que em 66 ganhou o primeiro título de campeão goiano.

  • Matinha

    É um dos que mais jogou partidas pelo Goiás nos 30 anos de história do clube no Campeonato Brasileiro. O volante atuou em 154 jogos pelo clube no Brasileiro, nos quais fez 4 gols. Foram 55 vitórias, 55 empates e 44 derrotas. Ele defendeu o Verdão no Brasileiro de 1973 a 81.

  • Tuíra

    O meia teve pouco tempo para se destacar no Campeonato Brasileiro pelo Goiás. Ele jogou três edições: de 73 a 75. Foram 63 jogos, 22 vitorias, 24 empates, 17 derrotas e 5 gols marcados. Fez dupla famosa de meias ao lado de Matinha.

  • Carlos Alberto Santos

    Foi um dos volantes mais técnicos que passou pelo futebol goiano. Desarmava como poucos e jogava de cabeça erguida. Começou nas categorias de base do clube e foi campeão goiano de 1981, 83 e 86. Atuou em 94 partidas do Brasileirão pelo Alviverde.

  • Dadá Maravilha

    O folclórico artilheiro esteve no clube em 83, no Campeonato Brasileiro. O Verdão foi o 7º colocado, Dadá jogou 20 partidas, marcou 4 gols, venceu 7, empatou 8 e perdeu 5.

  • Luvanor

    Revelado nas categorias de base do clube, brilhou com a camisa 10 de 1978 a 83. Negociado com o Catânia (Itália), voltou em 90 e ficou até 92. Nestes anos, fez 15 gols no Campeonato Brasileiro. Com ele, o Goiás foi as quartas de final no Brasileirão de 83 e vice-campeão da Copa do Brasil de 90.

  • Túlio Maravilha

    Revelado pelo time de juniores de 1987, Túlio foi tricampeão goiano (89 a 91) e artilheiro do Estadual de 91, com 18 gols. O atacante foi o primeiro artilheiro do Goiás em brasileiros, com 11 gols, em 89. Disputou quatro edições do nacional, marcou 48 gols, em 87 jogos, venceu 27 partidas, empatou 30 jogos e perdeu outras 30.

  • Zé Teodoro

    Começou a carreira como volante, virou lateral direito no Goiás e nunca mais deixou a posição. Ele disputou o Campeonato Brasileiro da Série A em 5 edições: 82, 83, 84, 85 e 95. Em 94, Zé Teodoro foi muito Importante para que o Goiás fosse vice-campeão do Brasileiro da Série B e retornasse à elite do Nacional.

  • Araújo

    Araújo é o maior artilheiro da história do Goiás, com 145 gols, e um dos jogadores com mais participações pelo clube no Campeonato Brasileiro. Atuando pelo Goiás, ele foi convocado para a seleção principal e para a sub-23, quando o técnico era Vanderlei Luxemburgo. Com muita velocidade e habilidade, foi negociado com o futebol japonês.

  • Josué

    O volante Josué chegou ao Goiás para a temporada de 97, com apenas 17 anos. Foi seis vezes campeão goiano, venceu a série B do Campeonato Brasileiro, em 99, e ganhou três edições da Copa Centro-Oeste (2000-02).

  • Paulo Baier

    Marcou época no Goiás como um dos jogadores mais talentosos da história do clube, além de artilheiro. Paulo Baier foi uma referencia do time que ficou em 3º lugar no Campeonato Brasileiro de 2005 e garantiu a única participação do alviverde na Libertadores.

  • Silvio Criciúma

    Zagueiro clássico, jogou cinco anos no clube, de 1996 a 2001, sempre como titular. Conquistou três títulos estaduais, dois do Centro-Oeste e a Série B de 1999. Era o dono da braçadeira de capitão e foi líder dentro e fora de campo.

  • Harlei

    Recordista em número de jogos, com 831 partidas, sem dúvida, o maior goleiro da história do clube. Líder dentro e fora de campo, Harlei foi titular da equipe durante mais de 12 anos e teve a participação importante nas principais conquistas da equipe. Foi bicampeão no Campeonato Brasileiro da Série B (1999/2012), três vezes campeão da Copa Centro-Oeste (2000 a 2002) e 8 vezes campeão goiano (99/00/02/03/06/09/12/13). Tem contrato até o final de 2014.